quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Bagagem para uma expedição

Bagagem para uma expedição

     Montar, demontar, rever, comprar, pesquisar...testar! Preparar a bagagem para uma expedição não é uma tarefa fácil, principalmente se você não quer dor de cabeça. Para quem pensa em pegar a estrada rumo a locais com pouca civilização tem que levar de tudo um pouco. Nesta postagem falarei um pouco das bagagens que estarão divididas em 3 tópicos: PILOTO, SOBREVIVÊNCIA E MOTO. 
     Cada pessoa tem uma necessidade diferente por isto não existe regra geral para montar a bagagem. A grande "sacada" é levar o mínimo de coisas pois na moto não cabe muita coisa!
   
  PILOTO
     Costumo fazer um Check list do piloto e ensaiar onde colocarei os pertences. Deve-se estudar o roteiro, o clima, o tempo de permanência, moeda, questões ambientais, necessidades fisiológicas (medicamentos) e documentos - convém realizar um check list semanas antes. A bagagem para o piloto inclui:
1. Documentos: PASSAPORTE, CARTA VERDE, CARTEIRA DE MOTORISTA E DOCUMENTO DO VEÍCULO (se não quer estresse não vá com a moto alienada - caso a moto possuir alienação você deve proceder documentações junto ao Itamaraty; ainda corre-se o risco do pessoal aduaneiro fazer vista grossa!). Documentos secundários, mas necessários incluem: PID, DECLARAÇÃO DOS MEDICAMENTOS ( traduzido na língua do país que você irá visitar), Carteira de vacinação e RG atualizado.
2. Moeda: Estude e simule o gasto. Percebi que em épocas de temporada as casas de câmbio locais não oferecem preços vantajosos para a troca. Faça uma simulação antes e leve um pouco de dinheiro gringo. Eu fiz uma tabelinha de conversão e coloquei no meu celular - colei que fita durex larga, ajudou muito! Tenha um cartão de crédito e avise os países que você irá visitar pois o cartão não será desbloqueado. Muitas vezes a famosa "verdinha" do tio san ajuda! Guarde uns dólares para emergência coloque-os dentro de um saco plástico de frezer e cole com fita durex para não molhar com suor e chuva - esconda-os! Muitos locais não aceitam TARJETAS(cartão de crédito)!
3. Seguros: Prefira os seguros que cubram o Mercosul e países da américa do sul, caso for sua rota. Avise a seguradora da quilometragem que irá percorrer pois muitas vezes o corretor delimita a quilometragem. Alguns países exigem seguro de saúde internacional, fique esperto com isso pois se você precisar de hospital poderá ter dor de cabeça. Eu costumo levar dinheiro americano para esse tipo de emergência.
 4. Equipamentos de proteção e acessórios para o piloto: Isto vai depender da região e época. Eu procuro estudar o clima da região antes de levar coisa à toa. Jaquetas e calças com forro integral interno e membrana raisa costumam ser eficazes. Prefira cordura à couro pois secam melhor, utilize proteções rígidas. Uma boa bota impermeável e luvas são essenciais - ambas com proteção. Geralmente utilizo proteções de Kevlar, titanium e polímero. Existem motociclistas que utilizam protetores do coluna, acho que toda proteção é bem vinda, desde que o "excesso" não atrapalhe a pilotagem. Eu sou fã dos produtos Alpinestar! Mas utilizo um conjunto da Zebra a mais de 6 anos kkkk - anda sozinho!
5. Equipamentos para o conforto do piloto: Eu tenho conjuntos de 2ª pele para frio intenso, média temperatura e de verão. A tecnologia empregada neste tipo de equipamento é diferente para cada tipo de temperatura. A utilização de luvas 2ª pele e balaclava é necessário neste tipo de expedição. Vale salientar que no frio sua roupa não pode ficar suada, a água tem que evaporar para não congelar sua pele...por isso a 2ª pele é a primeira camada(quando você sai de uma piscina não dá a impressão que ficou frio? isto é o efeito "radiador"!) Um tempo atrás comprei um macação de Fleece muito bom que ajuda em temperatura abaixo de zero. Sou fiel a marca SOLO pois a utilização de nanotecnologia nos produtos dá uma textura diferente e facilita a vida - os íons de prata tem função bactericida e impede o mal cheiro - tem outras marcas no mercado também. O amigo Nelson levou um bactericida tipo "lysoform spray"...achei muito interessante... Eu utilizei álcool 70 em spray (mais barato kkkk). Apesar que chega uma hora agente acostuma com o cheiro de RATO MORTO DAS ROUPAS! kkk
6. Acessórios diversos: levei um aparelho para esquentar água(rabo quente), carregador para máquina e celular, álcool 70 para limpeza e passar nas roupas (em spray), uma caneca de alumínio e um canivete multifunções. Acabei deixando o Netbook e me arrependi! A comunicação por MSN e Skype é mais fácil. Se o seu celular tiver uma boa tela o netbook é dispensável.
7. Roupas: Não sou marinheiro de primeira viagem. Levei algumas camisetas velhas para ir descartando pelo caminho. Pude comprar camisetas nos locais de visitação. Levei roupas suficientes para a quantidade de dias que iria ficar e senti falta daquelas calças que se transformam em bermudas. É importante lembrar que roupas casuais não são tão importantes pois fica-se quase o dia inteiro pilotando. Levei roupas que não amassam e de secagem rápida. Se possível invista nas camisetas SOLO(para saber mais: http://www.x-sensor.com.br/) que tem íons de prata. Leve uma jaqueta quebra vento!



SOBREVIVÊNCIA E CUIDADOS
1. Sobrevivência - emergência: Eu tenho um kit de sobrevivência composto por paracord 550 ( 15 metros), anzol, linha, bisturi, agulha, clorin, faca, bússola, lona preta, glicose, sal, remédio para dor, perdeneira, manta térmica e equipamento para fazer fogo. Como entusiasta do bushcraft procuro garantir minha sobrevivência caso fique perdido em algum lugar (afinal a moto pode quebrar!). Tudo isso cabe em um pequeno estojo impermeável embaixo do banco da moto. Isso eu uso em todas as viagens - é doidera minha...heheh
2. Água: O transporte de água pode ser feito em camelback (só uso quando estou à pe, durante a pilotagem prefiro parar e tomar água na garrafa térmica. Prefira levar cantil térmico e garrafas térmicas para água pois se você for para lugares quentes (chaco argentino) sua água vai servir para fazer chá! Prefira água mineral no caminho. Não vire Indiana Jones e tome a 1ª água que achar. Mesmo tendo clorin (que mata bactérias e protozoários) a toxina não é destruida! portanto se não quer desenrolar papel higiênico - use e abuse da água mineral!
3. Medicamentos: Eu utilizo medicamentos de uso contínuo que requer refrigeração - isto tem dado uma dor de cabeça nas viagem pois fico correndo atrás de gelo em restaurantes, hotéis e postos! Certamente vou investir em uma geladeira portátil para moto que é fabricada na alemanha - caro! Condicione os medicamentos em cases térmicos para não esquentar. Tenha em mãos medicamentos básicos como exemplo medicamentos para dor muscular. Protetor solar, creme hidratante nívea, repelente de inseto para o corpo e elétrico de parede são úteis. dica: Eu levo para "dor de barriga" o medicamento peptosil (à base de bismuto), um antihistamínico do tipo loratadina e soro de reidratação tipo em pó. Cada pessoa conhece o corpo que tem e se adequa a quantidade de medicamentos que precisa levar. Em Tilcara o que me salvou foi o remédio para pressão (já fui hipertenso, hoje controlo com atividade física, meditação e alimentação) mas o mal da altitude fez elevar a PA a 190 x 160 mmHg...e ia subindo se não tomasse o remédio! Eu levei aparelho de pressão pois precisava de uns dados para uso profissional (fisiologia)...

Conselho: Com certeza você vai suar muito no Chaco e deserto. Perderá LITROS de água e seu corpo vai sentir e manisfestar com uma cascata de sintomas. Em viagens deste tipo evite ingestão de água pura pois seu corpo perde com a transpiração algumas substâncias essenciais para a contração muscular e impulso nervoso: os sais - VOCÊ DIMINUI A CONCENTRAÇÃO DE ELETRÓLITOS NO SANGUE INGERINDO ÁGUA PURA! Para evitar estes problemas você pode ir tomando uns isotônicos pelo caminho ou levar soro de reidratação e adicionar no camel back ou garrafa.

MOTO 

1. Na moto foi instalado os bauletos italianos V-35 da givi e o E-45. Instalei o baú de tanque rígido da givi com quicklock, fica suspenso no tanque e não risca. Creio que estes baús foram o melhor investimento para as TRIPS! Fiz uma mala de banco traseiro sob medida para acomodar o galão extra e com divisões para ferramentas. Utilizei um defletor de parabrisa construído com alumínio de aviação o que garantiu uma boa estabilidade de capacete!
2. Levei todas numerações de ferramentas: chaves e alicate. Para reparo de motor, carroceria e pneus. Tinha um kit de borracharia composto por: 1 bomba elétrica 12v, 3 reparador instantâneo, 1 kit de stick. A moto estava com os caríssimos e bons pneus michelan pilot road 3 - investimento que vale a pena, principalmente se chover! Sou fiel aos michelan - nunca me deixaram na mão!
3. Fiz algumas modificações no motor (remapeamento de injeção e inibição do sistema pair) e na suspensão da moto coloquei um "óleo mais duro" e deixei a moto mais alta na regulagem que ela tem. Usei pastilhas de freio da BMW e fluídos da francesa motul. O escapamento era esportivo com molas de amortecimento. Os filtros eram originais da suzuki made in japan. rodei quase 7 mil km com o óleo motul 5100 semi-sintético - excelente custo benefício. As correntes eram lubrificadas com produtos com molibdênio a cada 500 km.
4. Para facilitar a vida instalei uma grelha de bauleto e coloquei banco gel (rubber gel). A moto estava com filme de vinil preto fosco nas áreas de atrito. Todos os parafusos sujeitos à estresse estavam com "trava química".


     Cada pessoa tem um gosto! Existe um livre arbítrio para escolher. Procuro certo conforto para propiciar mais kms rodados em cima da moto. Se a moto for um "pau de arara" certamente o piloto irá se estressar mais rapidamente...o que "detona" a trip!


    

3 comentários:

  1. Aquele baú italiano givi do tanque é um quicklock! FAcilita muito a vida, já que toda hora tinha que correr atrás de gelo para a insulina! Neste conduzia um isopor com medicamentos, na próxima trip pretendo comprar uma geladeira para moto.

    ResponderExcluir
  2. Valeu Jean Rocha! Sempre que posso dou uma atualizada no blog.

    ResponderExcluir